Juiz federal Marcelo Bretas fala sobre colaboração premiada na aula inaugural da Esmages

Typography

O juiz federal Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro e responsável pela condução do processo da Lava-Jato no estado, ministrou a aula magna inaugural da Escola de Magistratura do Espírito Santo (Esmages), na manhã desta sexta-feira, 8, no Salão Pleno do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES). O tema foi “Colaboração Premiada”.

A desembargadora Janete Varas Simões, diretora da Esmages, foi parabenizada pelo desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama, pela iniciativa da solenidade que marcou o início do ano letivo de 2019 e pelo empenho dedicado.

Na abertura da palestra, o juiz Marcelo Bretas defendeu o corte de privilégios, como o foro privilegiado e o fortalecimento da Operação Lava Jato e falou sobre os avanços na sociedade brasileira. Disse que a colaboração premiada é um dos instrumentos atuais que possibilitam a atuação do Judiciário no combate à corrupção; e que a sociedade vem acompanhando a mudança que vem sendo realizada pelo Judiciário e pelo Ministério Público.

A mesa de honra da aula inaugural da Esmages foi composta pelo presidente da Associação de Magistrados do Espírito Santo (Amages), juiz Daniel Peçanha Moreira; pelo presidente do TJES, desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama; pela diretora da Esmages, pela desembargadora Janete Vargas Simões; pelo presidente da Escola da Magistratura (Emes), desembargador Manoel Alves Rabelo; pelo procurador-chefe da Procuradoria da República no Espírito Santo, Paulo Augusto Guaresqui; pelo  corregedor-geral da OAB, Renan Sales e pelo  presidente da Associação Espírito-Santense do Ministério Público (AESMP), Adélcion Caliman. A mediação do debate foi feita pelo presidente Dr. Daniel, acompanhado dos juízes criminais Cláudia Vieira de Oliveira Araujo e Daniel Barrioni.

 

{gallery}aulamagna2019{/gallery}

O juiz federal Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro e responsável pela condução do processo da Lava-Jato no estado, ministrou a aula magna inaugural da Escola de Magistratura do Espírito Santo (Esmages), na manhã desta sexta-feira, 8, no Salão Pleno do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES). O tema foi “Colaboração Premiada”.

A desembargadora Janete Varas Simões, diretora da Esmages, foi parabenizada pelo desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama, pela iniciativa da solenidade que marcou o início do ano letivo de 2019 e pelo empenho dedicado.

Na abertura da palestra, o juiz Marcelo Bretas defendeu o corte de privilégios, como o foro privilegiado e o fortalecimento da Operação Lava Jato e falou sobre os avanços na sociedade brasileira. Disse que a colaboração premiada é um dos instrumentos atuais que possibilitam a atuação do Judiciário no combate à corrupção; e que a sociedade vem acompanhando a mudança que vem sendo realizada pelo Judiciário e pelo Ministério Público.

A mesa de honra da aula inaugural da Esmages foi composta pelo presidente da Associação de Magistrados do Espírito Santo (Amages), juiz Daniel Peçanha Moreira; pelo presidente do TJES, desembargador Sérgio Luiz Teixeira Gama; pela diretora da Esmages, pela desembargadora Janete Vargas Simões; pelo presidente da Escola da Magistratura (Emes), desembargador Manoel Alves Rabelo; pelo procurador-chefe da Procuradoria da República no Espírito Santo, Paulo Augusto Guaresqui; pelo  corregedor-geral da OAB, Renan Sales e pelo  presidente da Associação Espírito-Santense do Ministério Público (AESMP), Adélcion Caliman. A mediação do debate foi feita pelo presidente Dr. Daniel, acompanhado dos juízes criminais Cláudia Vieira de Oliveira Araujo e Daniel Barrioni.