EMES LANÇA PLATAFORMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SITE DA ESCOLA DA MAGISTRATURA NESTA QUINTA-FEIRA, 09

Typography

A Escola da Magistratura do Espírito Santo (Emes) lança, nesta quinta-feira (09), sua página na internet (site) e seu projeto de educação a distância (EaD). A cerimônia de lançamento acontecerá às 13h30, no Salão Nobre do Tribunal de Justiça (TJES). As iniciativas vão contribuir com a formação continuada de magistrados e servidores, além de facilitar a comunicação com os públicos interno e externo.

Os projetos foram criados com recursos do próprio Poder Judiciário. O site e a plataforma EaD foram desenvolvidos  pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI), com o apoio da Emes e da Assessoria de Imprensa e Comunicação Social do TJES. 

No site da Emes, serão disponibilizadas informações sobre os cursos e eventos promovidos ou apoiados pela escola, com a programação e a descrição das atividades previstas, incluindo o acesso aos formulários de inscrição, integralmente eletrônicos.

Os usuários também encontrarão, na página, dados importantes acerca da Emes, como sua história e atuação, além de orientações gerais para a participação nas ações da escola, e conteúdos relevantes para a constituição de uma memória institucional sólida.

A iniciativa facilita ainda a comunicação com o público externo, seja com membros de outros órgãos públicos, seja com demais pessoas interessadas. Nos eventos da Emes, por exemplo, dezenas de vezes, são acolhidos profissionais e estudantes de diferentes áreas, estendendo a interação e o diálogo entre diversos agentes sociais.

Já a implantação da EaD atende a uma diretriz fundamental da Emes: oferecer aos integrantes do Poder Judiciário estadual o mais amplo acesso a atividades de treinamento e aperfeiçoamento profissional. Pois a educação a distância pode alcançar um público maior, uma vez que elimina parte significativa dos empecilhos relacionados à participação em ações de caráter presencial, como o deslocamento até os locais onde são ministradas as aulas. Isso permite que qualquer membro da Justiça do Estado, independe de sua lotação, possa se aprimorar em suas funções participando, via internet, de cursos sobre assuntos variados.