Juízes do Fonajuv visitam Unidade de Internação Socioeducativa no Espírito Santo

Typography

Juízes de todo o país, que participam do Fórum Nacional da Justiça Juvenil (Fonajuv), visitaram, na tarde desta quinta-feira (22), a Unidade de Internação Socioeducativa (Unis), em Cariacica. Os magistrados foram recebidos pela diretora em exercício do Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases), Cláudia Faquinote, que fez uma apresentação sobre os projetos e as metodologias de trabalho desenvolvidas na unidade, com a participação das famílias, os círculos de mediação de conflito e o projeto visita monitorada na socioeducação.

O Juiz Alexandre Takaschima, integrante do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e de Execução das Medidas Socioeducativas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), falou sobre a importância da visita à Unis. Segundo o magistrado, o Espírito Santo é um estado que passou por uma grande crise no sistema socioeducativo e conseguiu superar isso, por meio de uma parceria articulada entre os poderes executivo, legislativo e judiciário.

“O TJES tem sido sempre um grande referencial pela superação das dificuldades. A crise trouxe o problema do socioeducativo à tona, mas graças a esse trabalho em conjunto e em rede, conseguiu superar. É por esse motivo que a gente está fazendo essa visita na própria unidade que foi acionada na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, para ver o que foi realizado por meio dessa parceria entre o Poder Executivo e o Sistema de Justiça”, destacou Takaschima.

O juiz da 3ª Vara da Infância e da Juventude de Vitória e integrante do Fonajuv, Vladson Bittencourt, explicou que a intenção da visita é mostrar aos magistrados uma unidade de internação do Espírito Santo, que é uma unidade simples, mas com uma socioeducação de qualidade. Embora seja a unidade mais antiga do Estado, o Juiz destacou que muita coisa mudou, a unidade antiga foi demolida e uma nova foi construída.

O magistrado também disse que o Espírito Santo foi escolhido para sediar o Fonajuv por ser tido, no Brasil, como o estado que mais está evoluindo na socioeducação. “Havia o interesse dos colegas de outros estados em vir conhecer de perto como está sendo feita a socioeducação no Espírito Santo. Para nós, esse é um reconhecimento de que nós estamos melhorando. E essa melhoria é um trabalho conjunto, de todo o Sistema de Justiça, do Governo do Estado, do Ministério Público”.

Segundo a presidente do Fonajuv, a juíza do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Ana Cristina Borba Alves, é esse compartilhamento de experiências que o Fórum propõe. “A intenção é fortalecermos cada vez mais a luta pela garantia de direitos do adolescente em conflito com a lei, envolvendo toda a questão da socioeducação, da execução das medidas socioeducativas, do próprio ato infracional, das questões em que o adolescente está inserido”, explicou a magistrada.